Tributação para clínicas médicas – Entenda como funciona

Contabilidade para psicólogo: da abertura da empresa ao dia a dia

Todo empreendedor precisa, antes de começar o próprio negócio, conhecer todas as etapas que envolvem esse processo. Não é diferente na área da saúde, onde uma das principais dúvidas é a tributação para clínicas médicas.

O assunto carga tributária é muito discutido no Brasil. Isso porque o nosso país conta com uma alta tributação, independentemente do modelo de negócio.

Sendo assim, é fundamental que todo médico que deseja abrir a sua própria clínica procure entender acerca dos regimes tributários vigentes no país.

Uma das formas é contar com uma contabilidade especializada em clínicas médicas. Afinal, nada melhor do que ter à sua disposição profissionais que entendem do assunto.

Desse modo, se você tem interesse em entender melhor acerca da tributação para clínicas médicas, leia este nosso artigo e tire todas as suas dúvidas sobre o assunto!

Entendendo a tributação para clínicas médicas

A escolha do regime tributário é uma das etapas mais importantes na abertura de uma clínica médica. Isso porque essa decisão pode fazer com que um empreendimento pague mais impostos do que deve.

Portanto, ela deve ser tratada com muita seriedade pelos profissionais. O recomendado, inclusive, é contar com o apoio de uma contabilidade para analisar qual é o regime mais indicado para uma clínica médica.

Na tributação para clínicas médicas, existem alguns pontos que devem ser levados em consideração antes da escolha do melhor regime tributário.

Sendo assim, é o momento de sentar ao lado do seu contador e analisar os seguintes aspectos da sua clínica médica:

  • Projeções de faturamento;
  • Todos os custos de uma clínica médica;
  • A previsão de uma margem de lucro;
  • Ter anotado todas as obrigações fiscais e trabalhistas.

Após a análise de todos os itens acima, chegou a hora de definir qual é o melhor regime tributário para a sua clínica médica. Vamos conhecer quais as opções em vigor no Brasil?

Simples Nacional

O Simples Nacional é um dos regimes mais adotados no país. Isso porque ele simplifica o recolhimento e dos impostos e tributos.

Ou seja, nesse modelo, a cobrança de impostos é unificada. Por meio de uma única guia, oito tipos de impostos são cobrados e pagos de uma vez só. Confira quais são esses impostos:

  • Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ);
  • Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL);
  • Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI);
  • Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins);
  • Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS);
  • Contribuição para o PIS/Pasep;
  • Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS);
  • Contribuição Patronal Previdenciária (CPP).

Dessa forma, não é necessário se preocupar com o recolhimento e prazos de oito impostos de uma maneira distinta, visto que todos eles são cobrados de uma vez.

No entanto, existem algumas especificidades que determinam quais empresas podem se enquadrar no Regime Simples Nacional. A principal diz respeito ao faturamento anual, que não pode passar de R$ 4,8 milhões.

Aproveite para ler o nosso artigo Simples Nacional para médicos: entenda como funciona.

Lucro Real

O Lucro Real já se apresenta como um regime tributário mais complexo. Nele trimestralmente realiza-se o cálculo do IRPJ e da CSLL tendo o lucro real da clínica médica como base para pagamento desses tributos.

Logo, tal cálculo é feito a partir das receitas de uma clínica, subtraindo as suas despesas e levando em consideração os ajustes que são previstos por lei.

Sendo assim, toda clínica médica que escolhe o Lucro Real como regime tributário precisa implementar um rígido controle acerca de todas as suas receitas e custos. Esse controle poderá facilitar todo o processo para calcular o lucro e os tributos.

Além disso, o Lucro Real possui outra característica muito importante. Aqui, os encargos de um empreendimento podem tanto aumentar quanto diminuir de acordo com o lucro registrado.

Para se enquadrar obrigatoriamente nesse regime, as empresas precisam ter um faturamento anual acima de R$ 78 milhões.

Lucro Presumido

Por fim, para a tributação de clínicas médicas, também temos o Lucro Presumido como regime tributário.

Aqui, tanto a tributação do IRPJ quanto do CSLL é calculada com base em percentuais de lucros, que tem como base o faturamento, e são definidos pela Receita Federal.

Por meio de tabelas personalizadas, a Receita Federal determina o percentual de margem lucro para cada atividade.

Além disso, toda clínica médica com o faturamento abaixo de R$ 78 milhões pode se enquadrar no regime Lucro Presumido.

Leia mais sobre: 5 dicas para manter pequenas empresas organizadas

O papel da contabilidade para a tributação de clínicas médicas

Passar pelo processo de definição da tributação de clínicas médicas sem conhecimento técnico sobre o assunto pode ser a porta de entrada para diversos erros.

Dessa forma, é imprescindível que todo médico, antes de abrir a sua clínica, tenha à sua disposição o suporte de um serviço especializado, como uma contabilidade.

São os profissionais contábeis os responsáveis por não deixar a sua clínica médica pagar mais impostos do que deveria. Além disso, eles também podem contribuir com a gestão financeira, além de outros processos contábeis.

Portanto, entre em contato conosco e descubra como os nossos especialistas podem contribuir com o seu empreendimento.

Além disso, acesse também o nosso blog e leia outros artigos e dicas para otimizar a gestão da sua empresa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *