Regociação de contratos de aluguel no período de “pandemia”

renegociacao-de-contratos-de-aluguel-durante-a-pandemia-econtadorlegal

A chegada da pandemia do novo coronavírus (COVID-19) trouxe consigo inúmeros impactos financeiros negativos. Desse modo, a renegociação de contratos de aluguel surge como uma das alternativas para driblar a crise.

Desse modo, entendendo a queda na receita dos inquilinos, é possível identificar um aumento na renegociação de contratos referentes ao aluguel.

De acordo com um levantamento feito pela Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo (AABIC), um a cada cinco aluguéis residenciais foram renegociados nos últimos meses.

No entanto, qual o melhor momento para buscar a renegociação de contratos de aluguel no período da pandemia? O que levar em consideração? Como devo renegociar os meus contratos?

Responder tais perguntas é de extrema importância para todo inquilino e proprietário, uma vez que, estamos falando de um processo que afeta ambas as partes.

Portanto, acompanhe este artigo e descubra como fazer a renegociação de contratos de aluguel no período de pandemia. Confira a seguir e tire todas as suas dúvidas sobre este assunto!

Por que optar pela renegociação de contratos de aluguel?

Buscar por acordos como a renegociação de contratos de aluguel é uma via de mão dupla. Com isso, é de extrema importância que ambas as partes cheguem a um acordo que seja vantajoso para elas.

Ainda segundo a AABIC, a maioria dos descontos de aluguéis podem variar entre 10% e 50%. Em grande parte das vezes, o período no qual a condição é válida dura cerca de três meses.

Desse modo, considerando 90% dos acordos de renegociação, os descontos valem de maneira temporárias. O que significa que eles serão repostos nas parcelas dos próximos meses dos inquilinos. Os outros 10% são referentes às negociações onde não haverá retorno.

No entanto, a pergunta do início deste tópico ainda é válida. Por que optar pela renegociação de contratos de aluguel durante a pandemia?

O principal motivo é reduzir o número de inadimplências! Ou seja, com a renegociação dos contratos, os proprietários evitam o risco de ver os seus inquilinos não arcando com as suas responsabilidades.

Sendo assim, é possível perceber que, mesmo durante a pandemia, o número de pessoas inadimplentes se manteve baixo. Fato que se deve pela renegociação de contratos de aluguel.

Os dados mostram que, antes da pandemia, a porcentagem de inadimplência era de 1,8% e, após a chegada da crise, registrou-se 2,8%.

Portanto, é fundamental ressaltar que a renegociação se apresenta como um método que beneficia ambas as partes. Conheça mais sobre essa relação agora!

Renegociação de contratos de aluguel: bom para as duas partes!

Até então, é possível que você compreenda que a renegociação de contratos de aluguel seja um processo benéfico apenas para os inquilinos.

No entanto, estamos aqui para provar que tal renegociação é vantajosa para ambas as partes envolvidas no acordo.

Acontece que, para os proprietários de casas e apartamentos, deixá-los vazios durante a pandemia pode fazer com que ele não tenha nenhuma receita.

Ou seja, ao perder um inquilino, é provável que o tempo para ocupar aquele imóvel de novo se prolongue por um extenso período. O que, sem sombra de dúvidas, acaba se tornando uma grande dor de cabeça para os proprietários.

Desse modo, a renegociação de contratos de aluguel se torna uma boa ideia, tanto para os inquilinos quando para os proprietários, sendo um procedimento benéfico para ambas as partes.

Agora, é fundamental entender qual é o momento certo para fazer tal renegociação. Continue acompanhando o nosso artigo e descubra!

Quando fazer a renegociação?

O recomendado é que, quando o inquilino perceber a queda na receita, ele procure o proprietário ou administrador para conversar sobre a sua situação. Afinal de contas, todos foram pegos de surpresa pela crise.

Contudo, é de extrema importância que os inquilinos entendam as necessidades dos donos daquele imóvel. A palavra da vez é ser flexível, até que ambas as partes cheguem em um acordo de renegociação.

Por outro lado, os proprietários também podem ser flexíveis, entendendo o momento vivido pelo seu inquilino. Criar conexões recíprocas é de extrema importância para fazer um acordo, sem gerar nenhum desgaste entre ambas as partes.

De todo modo, é indispensável entender que a renegociação de contratos de aluguel é um processo de extrema importância para os inquilinos e para os proprietários.

Estamos vivendo um momento no qual todas as pessoas e empresas estão sendo afetadas e, com isso, é fundamental buscar soluções criativas para driblar a crise.

O que você achou do artigo que acabou de ler? Para mais informações e dicas assim, acesse o nosso blog e confira!

Aproveite também para ler o nosso artigo sobre a pandemia Estratégias para seu negócio sobreviver à crise.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *