5 dicas de gestão financeira para sua clínica ou consultório

gestao-financeira-para-clinica-ou-consultorio

Quem possui uma clínica ou consultório certamente vive da rotina operacional de atender clientes e proporcioná-los uma vida saudável. Por mais que esse seja o seu principal objetivo, existe outra área que também necessita de cuidados e não pode ser ignorada jamais: a saúde financeira da sua empresa.

Para alcançá-la, porém, o empresário precisa estar por dentro das principais informações referentes à gestão financeira do seu estabelecimento de saúde. Dessa maneira, ele consegue alcançar resultados positivos que possibilitam atender mais clientes, expandir e investir em itens que elevam a qualidade do local.

E tudo isso só é possível quando sua empresa tem lucratividade. Consequentemente, essas ações são capazes de gerar resultados melhores e maximizar esse lucro.

Ficou claro para você o quanto é importante cuidar metodicamente da saúde do seu estabelecimento? Então, continue a leitura desse artigo e veja 5 dicas que separamos sobre gestão financeira para clínica ou consultório.

Primeiramente, o que é gestão financeira?

Pela introdução deste artigo, é perceptível o significado prático do conceito de gestão financeira. No entanto, essa definição pode ser ainda mais ampla. Ela contempla todos os métodos e processos em prol da administração das finanças de uma empresa ou pessoa.

Leve em consideração as dificuldades que um empresário enfrenta aqui no Brasil. É preciso cuidar da gestão de pessoas, superar concorrentes, atrair e fidelizar clientes e ainda entender o nosso complexo sistema tributário, que é considerado um dos mais burocráticos e onerosos do mundo.

Tudo isso só pode ser superado quando a empresa adota medidas que priorizam a gestão financeira. Continue lendo este texto para saber quais você pode adotar para melhorar a situação da sua clínica ou consultório!

Veja também: O CNES é obrigatório para todos os profissionais da saúde?

Como funciona a gestão financeira em uma clínica ou consultório?

A gestão financeira de estabelecimentos de saúde envolve algumas especificidades, mas, em um contexto mais amplo, segue o mesmo fluxo lógico da administração de empresas enquadradas em outras atividades econômicas.

As particularidades se dão por ser um serviço com intuito de prestar atendimento a pacientes. Então, envolve questões relacionadas aos recursos viáveis para a execução de atividades médicas.

Neste cenário, ao seguir com eficiência as atribuições da gestão financeira, sua clínica ou consultório terá os seguintes benefícios:

  • Maiores possibilidades de alcançar lucratividade;
  • Chances reais de expandir e abrir filiais seguindo um projeto lúcido;
  • Redução de custos;
  • Diminuição legal da carga tributária que incide sobre seu negócio;
  • Retenção de clientes;
  • Recursos para realizar investimentos e contratações.

Parece ótimo, certo? Então, sem mais delongas, vamos às dicas!

5 dicas de gestão financeira para sua clínica ou consultório 

1. Faça um bom controle de fluxo de caixa

O controle do fluxo de caixa é de suma importância para que você tenha noção clara do que entra em sua empresa e também do que sai. Não estamos falando de controle de acesso, mas sim das entradas e saídas das contas empresariais!

Ou seja, as entradas se referem ao que você fatura. Em uma clínica ou consultório, a principal fonte de rendimentos é por meio do pagamento pelos serviços médicos prestados. Por outro lado, a saída tem a ver com seus custos e despesas. Pode ser o pagamento de funcionários, fornecedores, impostos e taxas, por exemplo.

É importante atualizar esse controle diariamente para que você consiga se precaver de surpresas negativas.

Imagine atualizar seu balanço financeiro depois de cinco meses e descobrir que os seus gastos com compra de algum produto supérfluo aumentaram consideravelmente ao ponto de gerar prejuízos ao seu negócio. Seria possível perceber e evitar essa consequência negativa se esse déficit fosse visto antes, não é mesmo?

Então, atualize constantemente seu fluxo de caixa e registre inclusive os valores menores, impedindo que eles se acumulem e virem uma bola de neve altamente impactante à saúde financeira da sua empresa.

2. Jamais misture as contas pessoais com as da clínica ou consultório 

Misturar contas de pessoa física com jurídica é uma das principais maneiras de se alcançar o caos financeiro. E não ache que estamos exagerando! Essa é uma das atitudes mais graves dentro da gestão financeira de qualquer empresa.

Nunca pegue dinheiro do caixa da sua clínica ou consultório para pagar despesas pessoais, e tampouco faça o contrário.

Por isso é essencial definir um pró-labore, que é o salário dos sócios, exclusivamente voltado para aqueles que exercem uma função operacional. Sempre faça isso sem ferir a saúde financeira do seu negócio. Portanto, vale a pena calcular seus gastos mensais para estabelecer um pró-labore razoável

3. Utilize ferramentas digitais para otimizar os processos internos

Não menos importante que as demais dicas, utilizar ferramentas digitais e softwares é extremamente importante para que você possa acompanhar e ter controle sobre as finanças da sua empresa em tempo real.

Desta forma, é possível automatizar, por exemplo, o repasse salarial a médicos, ou até mesmo diversificar maneiras de receber o pagamento de clientes.

4. Acompanhe os indicadores financeiros

Durante a trajetória de um negócio, existem diferentes maneiras de acompanhar as métricas financeiras que dão uma noção prévia do cenário futuro da empresa. Isso é extremamente positivo para se prevenir de crises e momentos de instabilidade econômica, como os gerados pela pandemia do Covid-19, por exemplo.

Os principais indicadores financeiros são:

  • Margem de lucro;
  • Margem de contribuição;
  • EBITDA;
  • Balanço financeiro;
  • Liquidez corrente;
  • ROI;
  • Giro do ativo;
  • Ticket médio;
  • Giro de estoque;
  • Imobilização de patrimônio líquido.

5. Elabore um planejamento tributário

Tal como falamos nos primeiro tópico deste artigo, o sistema tributário brasileiro é amplamente burocrático e complexo, além de ser altamente oneroso. Para você driblar essas adversidades de maneira legal, é necessária a elaboração de um planejamento tributário.

Esse mecanismo trabalha em três frentes:

  1. Escolher o melhor regime tributário para sua empresa entre Simples Nacional, Lucro Presumido e Lucro Real;
  2. Organizar um calendário tributário para que sua clínica ou consultório cumpra corretamente com os prazos para pagamento de impostos e não tenha que arcar com juros e multas;
  3. Buscar benefícios fiscais para estabelecimentos da saúde, que podem reduzir ou isentar integralmente o percentual de alíquotas tributárias.

Dica bônus: tenha apoio do E-Contador Legal

Implementar todas essas medidas pode ser uma tarefa para lá de complexa quando se precisa cuidar do operacional de uma empresa médica. No entanto, deixar de segui-las pode prejudicar a gestão financeira da sua clínica ou consultório.

Para não colocar suas finanças em segundo plano ou não dedicar a total atenção que elas merecem, tenha o apoio de uma contabilidade especializada nos ofícios da medicina, como o E-Contador Legal.

Para acessar mais conteúdos, visite o nosso blog e não deixe de acompanhar as nossas redes sociais.

Caso tenha intenção em conhecer os nossos serviços ou tenha mais dúvidas, não deixe de entrar em contato com nossos especialistas. Será um imenso prazer poder te atender!

Continue a leitura: CRM médico: principais dúvidas sobre o assunto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *