Licença por Burnout na área médica: quais os direitos do médico PJ

licenca-por-burnout-na-area-medica

Nos últimos anos, as relações de trabalho se tornaram menos burocráticas e mais modernas. No entanto, é preciso estar atento com as novas regras para que se saiba exatamente quais os direitos e deveres de cada empresa e de seus colaboradores.

Neste artigo, vamos falar sobre um tema importante das novas regras trabalhistas: os direitos sobre doenças ocupacionais. Especificamente, nossos especialistas prepararam um texto sobre a licença por burnout na área médica e quais os direitos do médico PJ.

Por isso, se você tem dúvidas sobre este tema, acompanhe a discussão deste artigo conosco. 

Desejamos a você, então, uma boa leitura!

O que é a síndrome de Burnout?

A síndrome de burnout é um problema desencadeado principalmente por três fatores: stress emocional, distúrbio mental e redução de realização pessoal. Assim, com esse conjunto de problemas ligados a funções trabalhistas, o burnout foi acrescentado à lista de “transtornos mentais e do comportamento relacionados com o trabalho”.

Essa lista a que a síndrome de burnout foi acrescentada faz parte do Regulamento da Previdência Social, e passou a ser válida a partir de 1999. Desde então, a síndrome é um fator de risco de natureza ocupacional.

Ainda que policiais e professores sofram mais com a síndrome de burnout, a área da saúde tem apresentado também uma propensão que o problema se desenvolva entre seus profissionais. 

Segundo especialistas da área, a condição atinge médicos de todas as especialidades, além de enfermeiros e outros agentes da saúde. Por isso, a discussão está em alta e tende a receber mais atenção.

Mas afinal, que o que levar em consideração no pedido de licença por burnout na área 

médica? Veja a seguir.

Leia também: Por que você deve se preocupar com a experiência do paciente?

O que envolve o pedido de licença por burnout?

Quando um trabalhador sofre um acidente no trabalho ou acaba contraindo uma doença no ambiente profissional, há leis que protegem esse funcionário contra a demissão pela empresa. É o que se chama de garantia provisória no emprego ou estabilidade.

Porém, o regime de Pessoa Jurídica não prevê um contrato de trabalho formal estabelecido entre as partes e, por isso, é preciso estar atento à contribuição ao INSS por parte do próprio empregado. 

O trabalhador em regime PJ pode fazer a contribuição ao INSS por conta própria, e o cálculo deve ser feito por ele mesmo, sem a mediação do empregador. Por isso, a necessidade que envolve o pedido é a de que o trabalhador contribua com o INSS.

Sabendo o principal ponto necessário para o profissional conseguir uma licença por burnout na área médica, veja a seguir os principais benefícios que um médico PJ tem direito. 

Leia também: Vantagens de ser médico pessoa jurídica: quando e por que seguir esse regime?

A quais direitos um médico PJ tem acesso por meio do INSS?

Então, como vimos, é preciso que o trabalhador contribua com o Instituto Nacional do Seguro Social, o INSS. 

Por meio dessa contribuição os direitos permanecem assegurados. Para que se saiba exatamente a quais direitos o trabalhador tem acesso, preparamos uma lista. Acompanhe conosco:

  • Aposentadoria por tempo de contribuição;
  • Salário-maternidade;
  • Aposentadoria por idade;
  • Aposentadoria especial;
  • Auxílio-acidente;
  • Pensão por morte;
  • Auxílio-doença;
  • Benefício assistencial.

Caso o requerimento seja feito por um sócio de um empreendimento, por exemplo, as regras são as mesmas. A contribuição deve ser feita ao INSS e, assim, o cidadão terá direito ao que for preciso por meio do seguro social.

Leia também: Clínica Médica: como realizar o credenciamento de convênio

Como requerer uma licença de burnout na área médica?

Se você chegou até aqui e acredita que tem sintomas ligados ao burnout, é importante, então que você marque uma perícia no INSS. Caso seja constatada a incapacidade de permanecer no trabalho, será concedida a licença por burnout na área médica.

Para que se conceda uma licença de burnout pelo INSS, primeiro é necessário que se tenha um atestado médico com afastamento do trabalho superior a 15 dias.

Após essa expedição de um médico garantindo o afastamento do trabalhador por 15 dias, então, é possível pedir a licença ao órgão público, que pode durar até um ano.

Por isso, cuide de sua saúde e, se necessário, avalie a necessidade de um período de afastamento. Nossa saúde mental é muito importante para uma qualidade de vida satisfatória!

Leia também: Contabilidade para psicólogo: da abertura da empresa ao dia a dia

Conte com o suporte da e-Contador Legal!

Agora que você conhece algumas questões ligadas à licença por burnout na área médica e quais os direitos do médico PJ, saiba que você pode contar com o apoio da E-Contador Legal!

Nosso trabalho oferece qualidade e eficácia no cumprimento de prazos, em um atendimento de qualidade e com respeito ao sigilo profissional.

Oferecemos suporte técnico de contadores especializados. Por isso, entre em contato com nossa equipe para saber mais sobre nosso trabalho! 

Se você gostou deste artigo, acesse nosso blog para ler outros textos relacionados à área contábil. 

Siga também as redes sociais da e-Contador Legal e fique por dentro de tudo o que acontece por aqui!

Leia também: Gestão financeira de convênios médicos: como a E-contador Legal pode ajudar o seu negócio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *